Pais adotivos de crianças da Bahia relatam ameaças em Indaiatuba.

20121202-235135.jpg

A advogada que auxilia o processo das famílias de Indaiatuba, Lenora Panzetti, convocou uma entrevista coletiva na última quarta-feira, 28, onde os pais adotivos das crianças de Monte Santo, localizado na Bahia, esclareceram sua versão.

A coletiva ocorreu por consequência da ação divulgada pelo juiz Monte Santo, Luís Roberto Cappio Guedes Pereira, que revogou as guardas provisórias das crianças. A decisão aconteceu no Tribunal de Justiça da Bahia – TJ-BA. Há um prazo de 15 dias para que as crianças, que ainda estão com as famílias paulistas, retornem à Bahia.

“A família adotiva está há 1 ano e cinco meses com os menores e somente agora os país biológicos resolvem procurá-los. Quando a medida protetiva foi cedida, as crianças estavam com grande déficit de saúde, infecções gastro-intestinais e demais problemas, por conseqüência de má alimentação. A única brincadeira que eles sabiam era imitar bêbados. Os pais biológicos não ofereciam se quer o mínimo de atenção e respeito por eles”, afirmou a mãe adotiva, Leticia Cristina Fernandes.

Lenora Panzetti disse que irá recorrer a decisão e que não houve nada de errado por parte das famílias envolvidas na adoção. “Se há algo errado nós gostaríamos de ser os primeiros a saber”, disse. “Desde o começo as famílias sabiam da possibilidade de as crianças voltarem para a Bahia, mas desde que a justiça entenda que a família biológica tenha condições de criar essas crianças, não entendo o porque revogaram somente agora e porque também essa família após 1 ano e cinco meses as procurou”, explicou a advogada.

O caso

O Juiz Vitor Bezerra responsável pela adoção que ocorreu em Monte Santo na Bahia, em meados de 2011, divulgou em nota os esclarecimentos sobre o caso.

O caso veio ao ar em outubro quando o programa Fantástico exibido pela TV Globo noticiou uma possível irregularidade. Segundo a reportagem haveria um possível irregularidade com adoção de crianças entre tráfico de menores para adoção.

Bezerra no entanto, disse que a adoção foi dada porque os os pais biológicos não ofereciam as mínimas condições para vida dos filhos. No esclarecimento, o juiz relata que os pais são alcoólatras e usuários de drogas.

A advogada Lenora Panzetti, afirma que a matéria exibida foi tendenciosa e contra a verdade do que realmente aconteceu. “Essas crianças foram retiradas dos pais, porque sofriam maus tratos. O juiz de Monte Santo determinou a retirada delas por consequência disto. Não há nada ilegal”, complementa.

A suposta denúncia do programa Fantástico, da Rede Globo, mostrou que cinco filhos, inclusive uma criança de 2 meses, foram tirados da casa dos pais pela polícia para adoção. As crianças foram entregues a quatro casais de São Paulo, dois inclusive em Indaiatuba, entre maio e junho do ano passado.

Conforme informado pelo juiz Vitor Bezerra não há nenhum indício de haver a possibilidade de se constituir crime ou qualquer tráfico de crianças neste caso.

De acordo com Lenora, na cidade onde viviam, não existe abrigo, casas de passagem ou outro tipo de serviço que possibilite a retirada temporária das crianças dos pais biológicos, por isso o juiz havia determinado a ação.

foto g1
Texto maisexpressão

Related posts

Show RENAN & JORDÃO em Elias Fausto 

 Show & Jordão em Elias Fausto sábado dia 22/08/2015 

CAMAROTES FAICI 2013

Camarotes Brahma e VIP Fusion e Camarotes Corporativos FAICI 2013 Três espaços exclusivos na...

Leave a Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.




Top